Caro associado;
Com relação a polêmica envolvendo a poda/corte definitivo de várias árvores, gostaria de esclarecer, que estamos respaldado no pedido de mais de dois anos que fizemos à Justiça solicitando autorização para cortar algumas árvores, após vistoria de um engenheiro ambiental, que avaliou e constatou os riscos que poderiam ocorrer dentro das dependências do clube.
“Essas árvores estavam oferecendo risco de queda, podendo causar futuros acidentes aos associados.”
Os outros motivos são: prejuízo na rede de esgoto – que está tomada pelas raízes das árvores resultando em bueiros entupidos e alagamentos quando chove; os galhos que estão apodrecendo caem e causam prejuízos e acidentes, como no ano que passou destruiu o telhado da churrasqueira; outro tronco derrubou o alambrado do campo de futebol e o último caso ocorreu a pouco dias, onde mais um tronco apodreceu destruindo o alambrado da quadra de grama sintética, além disto as folhas e galhos caem constantemente sobre carros podendo causar danos aos veículos e prejuízo ao clube.
“Não queremos que a poda destas árvores seja prejudicial ao meio ambiente”.
Mas não podemos ser conivente com a situação, colocando os associados em risco.
Peço desculpas por não ter comunicado com antecedência, mas a intenção sempre foi a melhor possível ou seja, preservar a integridade dos associados.
Gostaria de salientar, que serão plantadas várias mudas de árvores frutíferas para compensar o corte das árvores condenadas.

Atenciosamente,

Nestor Garcia Paterna
Presidente do RPFC